Visita do atual vice prefeito de Ibimirim a Casa de Saúde na ultima sexta-feira se transforma em caso de policia.

 


No ultimo final de semana, a população do município de Ibimirim, no sertão do Moxotó  assistiram de camarote mais um capitulo de uma  novela que  deverá durar por muito tempo com  cenas de perseguição políticas recheadas de denuncias  que promovem o atraso na construção de um governo que a pouco mais de um ano  começou a governar.

Para se ter uma nítida ideia a quanto anda a briga pelo poder no âmbito do município, basta acessar as redes sociais do atual vice- prefeito, ou se residir na capital dos Santeiros  poderá acompanhar ao vivo e a cores  os capítulos da novela  que na ultima sexta-feira virou caso de policia e vários envolvidos  foram parar na porta da Delegacia de Arcoverde para serem ouvidos pelas autoridades  policiais de plantão.

O triste episódio daqueles que a população de qualquer município não merece ver  aconteceu por volta das 16 horas e 30 minutos na entrada principal  da Casa de Saúde Marcos Ferreira D’ávila. local onde por Lei existe placas  exigindo   silencio.

Segundas informações, e comprovadas através de um vídeo que circula nos grupos de Whats App  locais, o atual vice prefeito e ex aliado político do atual prefeito Welliton Siqueira compareceu acompanhado por alguns assessores compareceu ao Hospital local, onde segundo as informações, com o pretexto de fiscalizar  daria continuidade a sua serie de denuncias  da gestão  como  vem fazendo desde que rompeu politicamente com o grupo político prefeito.

Acusado de tentar agredir uma servidora publica no exercício de suas funções, o que por si já se configura crime previsto no artigo 331 do  Código Penal Brasileiro , com detenção de seis meses a dois anos, ou multa, o vice prefeito  foi convidado a comparecer a Delegacia de Policia de Arcoverde  onde  prestou seu depoimento e em seguida  liberado para voltar para sua residência.

Diante do exposto, a prefeitura  divulgou uma nota de repúdio, onde na nota   repudia o ato protagonizado e se coloca à disposição para ajudar a reparar os danos emocional, profissional ou pessoal sofrido pela referida técnica.

 E Finaliza pontuando que não  pode aceitar que com fins estritamente políticos-eleitoreiros, se promovam ameaças ou tentem difamar a imagem da gestão e de seus colaboradores, e que a Procuradoria Jurídica, adotará todas as medidas cabíveis em função do ato na forma da lei.

Nenhum comentário:

Adbox