Zeca defende estudos para perfuração de novos reservatórios de água

Mais de mil cidades brasileiras estão em situação de emergência por causa da seca. Segundo levantamento do portal G1, a situação é mais grave na região Nordeste. No Rio Grande do Norte, por exemplo, a seca atinge mais de noventa por cento dos municípios. Embora o Nordeste seja a região mais afetada, a seca também tem prejudicado o Centro-Oeste, Norte e Sudeste.

Dados da Agência Nacional de Águas (ANA), que monitora 511 açudes do Nordeste, mostram que o nível dos açudes que abastecem a região é de apenas 19%.

Para repercutir esse cenário alarmante, o deputado Zeca Cavalcanti, do PTB de Pernambuco, que presidiu, no ano passado, a Comissão Externa de Combate à Seca no semiárido nordestino concedeu entrevista ao programa “Com a Palavra” da Rádio Câmara.

Segundo o parlamentar, o problema da seca não é apenas do Nordeste, mas se estendeu para o Sul e Sudeste, embora que na região nordestina o problema seja mais grave. Defendeu fórmulas de convivência com a seca, já que é um problema climático e cíclico.

Para o parlamentar, entre as medidas a serem tomadas estão a abertura de poços artesianos e poços profundos, além de um projeto de desenvolvimento sustentável. Para ele, é preciso diminuir a desigualdade social na região. Lembrou do Projeto de lei de sua autoria que cria formas inovadoras para garantir a sobrevivência, com incentivos para que seja aproveitado o sol para a geração de energia nas pequenas propriedades.

Zeca Cavalcanti disse que é “preciso fazer estudo para aumentar os reservatórios de água no nordeste, unindo esforços dos órgãos federais, para buscar águas subterrâneas”. É preciso que os órgãos falem uma linguagem só, disse o parlamentar trabalhista. Fianlizou defendendo a instalação de um centro de pesquisa de desastres naturais e tecnológico no semiárido e defendeu a dessalinização da água do mar, como forma alternativa de combater a falta de água nas grandes cidades.

Nenhum comentário:

Adbox